A visualizar 3 artigos - de 1 a 3 (de um total de 3)
  • Autor
    Artigos
  • #14775

    Na rúbrica Mulher Extraordinária – Fátima Gouveia e Silva, partilha o que é, e como a Parentalidade Consciente entrou na sua vida.

    Conheça as suas sugestões de leitura sobre este tema, e abrace os concelhos para melhorar o papel enquanto mãe.

    [embed]https://youtu.be/VkXTuLEIOwM[/embed]

    URL Vídeo: https://youtu.be/VkXTuLEIOwM

    Depois de ver o video com atenção, eu e a Fátima @coach temos uma pergunta para vocês:

    Qual é a tua intenção enquanto mãe, e que tipo de relação queres ter com os teus filhos? 

    nota: se gostaram do vídeo subscrevam ao canal e partilhem com todos os vossos contactos!

    Estarei aqui, para ir acompanhando os comentários!

    Ana Claudia Vaz

    #14787

    Esta foi a primeira reflexão que fiz quando tomei contacto com a Parentalidade Consciente. Qual a minha intenção enquanto mãe? Que valores quero passar às minhas filhas?
    Ser mãe é a maior aventura do mundo. O desafio de ser mãe é viver plenamente todos os momentos, bons e menos bons, em conjunto com os nossos filhos, aprendendo e crescendo com eles.
    A Parentalidade consciente é tanto sobre os nossos filhos como sobre nós, pais. É sobre o percurso que fazemos para nos desenvolvermos também enquanto pessoas. É uma verdadeira jornada de autoconhecimento…

    Todos os momentos, por mais difíceis e desgastantes que sejam, tem o potencial e são uma oportunidade para nos ajudar a crescer e a melhor conhecer os nossos filhos e a nós próprios.
    É nos momentos difíceis, em que me sinto perdida, frustrada ou desgastada que recorro às minhas “Intenções enquanto mãe”.
    As minhas intenções servem-me de guia e orientação pois refletem o que verdadeiramente é importante para mim enquanto mãe. Consciente destas intenções posso adequar e validar as minhas ações e comportamentos à luz do caminho que quero percorrer e da forma como quero experienciar a parentalidade.
    É desafiante, exigente, mas não tem de ser desgastante.

    Quantas vezes nos sentimos a perder a paciência, como se todos os nossos limites estivessem a ser testados? Quantas vezes nos sentimos inundar de duvidas e inseguranças? E quantas vezes nos assustamos ao ver no comportamento das crianças um espelho do nosso?
    Nessas alturas, aprendi a parar, respirar, olhar para dentro e reconectar-me: O que é realmente importante para mim, agora? Como posso transformar este momento num momento de aprendizagem e conexão?

    “Entre o estímulo e a resposta há um espaço.
    Neste espaço está o nosso poder de escolher a nossa resposta.
    Na nossa resposta está o nosso crescimento e a nossa liberdade.”
    ​ VIKTOR FRANKL

    É nos momentos mais difíceis que podemos manifestar o amor incondicional que sentimos pelos nossos filhos, estar efetivamente presente, estabelecer conexão e criar uma relação de qualidade. Ser consciente …

    Ser mãe consciente requer um grande trabalho interior, humildade, presença e autenticidade. Implica desligar o piloto automático e cultivar a atenção. Não há certos nem errados, não há estratégias infalíveis, tudo depende … depende de nós, depende da criança, depende da situação…

    Ser mãe consciente é praticar a aceitação e a compaixão em relação aos nossos filhos e a nós mesmos.

    Ser mãe consciente é olhar para além do comportamento da criança e percebê-lo como forma de comunicação de necessidades que não estão a ser satisfeitas.

    Ser mãe consciente é educar mais com os atos do que com as palavras, pois é assim que se transmitem valores.

    Ser mãe consciente é ter noção de que não há soluções rápidas, mas há perguntas que nos ajudam a refletir e a receber respostas que são únicas e são nossas.

    Ser mãe consciente é perceber que o que interessa é mesmo a qualidade da relação pois com uma relação genuína, autêntica e profunda as soluções aparecem;

    Ser mãe consciente é perceber que são as nossas intenções que nos guiam e em função dessas posso validar a minha forma de agir; perceber que tenho sempre escolhas, e tudo depende da relação que quero ter comigo, e com as minhas filhas.

    Tudo parte das nossas intenções! O que queremos para os nossos filhos? Que mães somos e que mães queremos ser?
    Acredito que todos temos recursos interiores que nos dão a capacidade de aprender, crescer e sofrer transformações impressionantes. Todos temos recursos para enveredar por um caminho fiel aos nossos valores, saber escutar a nossa intenção e o nosso coração!
    Quais são as tuas intenções enquanto mãe?

    Espero pelas tuas partilhas 😉

    #14789

    Fátima obrigada pelo tema tão importante. A minha intenção como mãe é tentar quebrar alguns padrões que me foram colocados quando era eu criança.
    Tento passar valores básicos importantes, como a partilha, a amizade, o amor próprio e a independência…..
    Por outro lado, já me apercebi que também exagero noutras coisas porque não as tive….e que já está na lista para modificar e não comparar….aceitar como foi e como é….

A visualizar 3 artigos - de 1 a 3 (de um total de 3)
  • Tem de iniciar sessão para responder a este tópico.

© 2020 Associação Adoro.Ser.Mulher | Rede Emprendedorismo Feminino Internacional |    Contactos   |    Termos de Utilização e Privacidade

Log in with your credentials

or    

Forgot your details?

Create Account